Phuket

Não posso falar muito desta ilha porque minha visita foi rápida e em apenas uma praia a Patong Beach, mas posso defini-la como… Normal, sem muitos atrativos em termos de belezas naturais.

Antes de viajarmos procuramos em muitos blogs informações e praticamente todos eles, resumiram a ilha como “o pior lugar da Tailândia”. Por conta desta má fama não tínhamos intenção nenhuma de passar em Phuket, mas como os vôos para outros lugares são mais baratos saindo de lá. Ficamos um dia, pois o trajeto nos forçou a isso.

Escolhemos a praia chamada “Patong”, porque limos que é a mais bonita e movimentada.

No trajeto até ela percebi que a cidade é muito parecida com Chiang Mai, porém tem menos placas com informações em Inglês e o turismo sexual em alguns pontos impera, mas também tem um Tiger kingdom, vários templos sem muitos adereços e aquela poluição visual de placas, fios, barraquinhas, prédios antigos, poeira de construção e muitas motos.

Bangla Road - rua principal da ilha/Photo by Claudia Grunow

Bangla Road – rua principal da ilha/Photo by Claudia Grunow

Quanto à infraestrutura, achei-a bem preparada. Na verdade até gostei.  Acho que foi o fato de estar a quase três semanas em lugares bem rústicos. Eu já estava cansada de ruas de terra, silêncio e aquela paisagem selvagem das outras ilhas.  A agitação de Phuket veio a calhar e sua estrutura me fez lembrar a Praia Grande de São Paulo, com mais turistas bonitos.

Resumindo, eu não iria do Brasil para fazer um tour por lá, porém pensando em custo x benefício, porque não fazer ponte aérea aqui?

Portanto você pode pensar em Phuket de duas formas quando for fazer o roteiro:

  1. Local apenas para trânsito entre um vôo e outro.
  2. Se hospedar para de lá ir para outras ilhas. (neste ponto, somente se a estadia for barata) Phuket como Krabi tem barcos saindo direto para outras ilhas, mas não indico ficar aqui para ir para Railei Beach ou Ao Nang. A distância de carro é de 3 horas e o táxi costuma sair quase o mesmo preço da passagem descendo em Krabi. Faça ponte aerea para lugar longe como Camboja, Singapura ou Bangkok. Faça passeios de barcos para as ilhas que você não se hospede. Aqui também indico não fazer o passeio de um dia para Kho Phi Phi o legal é se hospedar nela.

A primeira impressão

Eu cheguei a Phuket de barco da maravilhosa Kho Phi Phi ( leia o post dela aqui!), foram duas horas de balanço depois de uma noite de festa. Fomos de táxi até o hotel, em torno de 400 Bath na época e demorou uns 20 minutos apenas.

Eu estava completamente exausta, mas não queria perder nada. Depois de fazermos o checking no hotel, fomos desbravar o lugar a pé, como sempre.

Shopping Jungceylon

Shopping Jungceylon

Era fim de tarde, estava aquele calor abafado que só na Tailândia tem. Achamos a praia Patong bem fácil. Fomos fazer o reconhecimento na praia e… Nada de mais, andamos no calçadão fomos abordadas por vários comerciantes querendo vender passeio de Jet, barco, taxi, sexo… Rsrsr Porém eu estava um pouco cansada para qualquer aventura do tipo. Continuamos andando encontramos um shopping enorme. Foi bom para comprar presentes e comer. O shopping (Jungceylon) tem na região central  dele, uma área livre com palmeiras lagos.  É um verdadeiro Oásis naquela bagunça toda.

Photo by Claudia Grunow

Photo by Claudia Grunow

À noite achamos um mercado o Malin Market. Lembra uma feira livre, com muito souvenir, bugigangas e comida. Nele comemos um peixe assado e um espeto de camarões, embora de barraquinha, foi uma das refeições mais saborosas da viagem.

De lá fomos para a famosa Bangla Street, rua onde o turismo sexual impera.

Porque, fui?

Curiosidade… E porque sou uma blogueira e tenho que trazer o máximo de informações para todos os gostos e públicos.

E você sabe que gostei!

Tem muuuita gente curiosa neste mundo!

A rua a noite fica fechada para carros e costuma lotar. Tem de tudo, camelô, Drags Queens, prostitutas, gente normal, famílias, criança olhando de boca aberta as Lady Boys (transexuais), moto com várias garrafas de vidro vendendo gasolina, bicicletas com uma cozinha improvisada vendendo Tai food e claro… Muitos homens, na minha época tinham bastante australianos. Embora o lugar possa assustar os puritanos, porém fomos muito bem respeitadas e em nenhum momento vi algo escandalizante (Sexo explicito ou nudez). Parecia que eu estava numa festa um pouco mais alternativa.

IMG_0271

A rua tem muitos bares e estes cheios de dançarina (Pole dance). Escolhemos o que mais parecia o Rainforest restaurant. Sim, aquele restaurante de Miami e Vegas cheio de bichos, ideal para criançada. Este também tinha vários tigres, folhas e troncos de árvores na decoração, mas também vários canos e suas dançarinas. O lugar se chama Pink Paradise e no ambiente tem poucas mesas apenas balcões cumpridos onde o pole dance rola solto. Nele tem todo tipo de dançarinas das sem graças as mais artísticas. Nós entramos nos instalamos num desses balcões pedimos uma cerveja que é o olho da cara. A entrada é franca, igual um bar normal. Dois minutos sentadas à garçonete veio e colocou junto de nós dois cavaleiros australianos. No começo foi muito estranho estávamos no maior papo e derrepente tinha dois caras olhando pra nós esperando nossa simpatia. A minha amiga com o português mais sonoro e alto falou “Ai meu, será que ela achou que esses dois malas combinam com a gente”. Enfim, os caras eram realmente chatos e sem graças, mas essa estratégia do bar, eu acredito, que seja para que você goste da companhia, assim vai rolar conversa e você vai consumir mais. Eu acho que a idéia é converse e beba. Achei interessante se você tiver afim, pode achar companhia.

A parte engraçada desta noite é que no mesmo momento que os Australianos chegaram, num palco a nossa frente uma dançarina de saia longa começou uma performance digna do ” cirque du soleil”. Eu fiquei de queixo caído. Era sensual e ao mesmo tempo acrobático. Ficamos tão embasbacadas que os caras não conseguiram atrair nossa atenção. Infelizmente não pude filmar ou tirar foto é terminantemente proibido e quem tentou teve que apagar. Resumindo nada me chocou a não ser de admiração. Como já fiz balé no passado,  achei fantástico… Estou até pensando em comprar um cano… Vamos deixar esse assunto pra, lá.

Pink Paradise /Photo by Claudia Grunow

Pink Paradise /Photo by Claudia Grunow

Olha! Se você é como eu que se diverte em qualquer lugar quando está viajando, tenho certeza que também vai encontrar coisas bacanas para fazer aqui.

Para tentar facilitar a sua vida coloquei aqui os links e endereços dos locais. Assim facilitará seu roteiro.

Shopping Jungceylon 

Endereço:181 Rat-u-thit 200 Pee Road, Patong, Kathu, Kratu Phuket 83150.

Malin Market

Endereço: 52 83150, 162/51-52 Phangmueang, Patong, Kathu District, Phuket 83150, Tailândia

Banana Walk 

Esse lugar fica perto do letreiro de Patong em frente para a praia  e se você estiver planejando colocar a ilha no roteiro entre no site e escolha uma época que tenha eventos. Quando fui não tinha nada, mas sempre tem festas grandes regadas com bebidas, espuma e água. Vi algumas fotos que tem até criança, mas realmente vindo de Phuket eu não recomendaria essas festas para quem não tem a maioridade

Hospedagem

Vou apenas colocar o que visitei. Sem muito luxo,infelizmente com cama de casal. Barato, porém não tem café da manhã.

Little Moon residence

Endereço: SIRIRaj Rd. Kathu 20/1 -4 Patong 83150

Hotel em Phuket / Photo by Claudia Grunow

Hotel em Phuket / Photo by Claudia Grunow



Categorias:Asia, Phuket, Tailândia

Tags:, , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: