O que fazer na ilha do Cardoso?

Um turista me falou “A ilha vai depender do seu estado… Do que você quer!

– O que você quer?   Dançar?   Fazer trilha?   Ficar sossegado de baixo da árvore?   Nadar no mar?

Pareceram-me tantas opções que pensei… Por onde eu começo?

Photo by Claudia Grunow

Photo by Claudia Grunow

Para te ajudar a decidir ou para você escolher o que fazer, falarei um pouquinho do que tem na ilha e você decide o que combinar com a sua vibe.

Praias

Praia do Marujá - Photo by Claudia Grunow

Praia do Marujá – Photo by Claudia Grunow

As principais são:

  • Pontal de leste;
  • Enseada da Baleia;
  • Praia do Marujá;
  • Lages;
  • Foles e Cambriú;
  • Núcleo do Perequê.

As mais movimentadas são: O Marujá e o núcleo Perequê.

No núcleo Perequê tem pouca coisa, mas é onde haverá maior possibilidade de visualizar Botos, pois é o lugar que eles costumam se alimentar.

Nela também funciona um local para cuidar de animais feridos que biólogos resgataram na ilha ou próximo dela. Não tem pousada, só o alojamento de biólogos, mas fica movimentada com passeios vindo de Cananéia. Caso tenha interesse terá que fretar um barco para conhecer esta praia.

Photo by Claudia Grunow

Praia do Marujá – Photo by Claudia Grunow

A praia do Marujá em que fiquei é grande, extensa não tem nada além de mato, areia e mar.

Leve guarda sol a praia não tem árvores. Vi algumas pessoas improvisando uma barraquinha com cangas e paus, pode ser uma opção, mas cuidado madeira abandonada pode ter alguns bichinhos (Escorpião, aranha), preste muita atenção ao pegar galhos que estão jogados.

Praia do Marujá - Photo by Claudia Grunow

Praia do Marujá – Photo by Claudia Grunow

Para chegar à praia é por trilhas no mato e quando o mar aparece junto com ele uma faixa larga… Aliais, bem larga, de areia nos recebe. A distância é longa de uma ponta a outra, ótima para fazer corridas de manhã. O mar é água quase morna em alguns horários, mas é limpo.

Importante

Por favor, leve sua sacola para recolher o lixo e descarte ele nos locais adequados.

Trilha para a Praia do Marujá- Photo by Claudia Grunow

Trilha para a Praia do Marujá- Photo by Claudia Grunow

Trilha para a Praia do Marujá - Photo by Claudia Grunow

Trilha para a Praia do Marujá – Photo by Claudia Grunow

Trilha para a Praia do Marujá - Photo by Claudia Grunow

Trilha para a Praia do Marujá – Photo by Claudia Grunow

À noite se tiver sorte verá plânctons Luminosos.

Trilhas do Parque

Não são muitas e todas devem ser feitas com guia turístico. Isso é para a sua segurança e também o guia é treinado para sempre preservar o meio ambiente.

Falarei das trilhas próximas ao Marujá.

Cachoeira Grande - Photo by Daniela ( Amiga)

Cachoeira Grande – Photo by Danielle Julião (Amiga)

 Costão do Marujá

É o caminho da praia do Marujá para a praia da Laje. O caminho começa nas pedras e ao longo deste terá mirantes para uma boa foto, flores e mata silvestre. É considerada de nível médio. (6 km).

Cachoeira Grande

Para chegar ao início desta trilha você terá que pegar um barco. Geralmente o passeio feito com o guia já tem o barco incluso. Chegando ao local começa a trilha que é considerada leve (1,6 km). No fim desta, uma bela cachoeira.

  Além destas duas você tem:

  • Poço das Antas;
  • Morro do Pereirinha;
  • Suspensa do Manguezal;
  • Costal do Itacuruça;
  • Cachoeira do Ipanema.

Todas estas, ficam longe do Núcleo Marujá, mas você pode fazer. No centro de informações a turistas você consegue os valores e rotas.

Nas fotos abaixo observe no mapa a distância de cada trilha e seus níveis de dificuldades. Nas trilhas tem painéis com mapas e informações a respeito.

À Tarde

À tarde, depois de tirar aquela sesta debaixo da árvore, você pega uma canga, tapete, esteira ou lençol e vai para o Bar do Rodrigo. Este é o point da tarde. 

Em frente ao Bar do Rodrigo - Photo by Claudia Grunow

Em frente ao Bar do Rodrigo – Photo by Claudia Grunow

Lugar para jogar conversa fora, apreciar a natureza, ver o sol se pôr e ouvir forró ou sambinha. Quem embala o lugar é uma banda chamada “Os 3 do Norte” composta, lógico por três ” Cabra da peste”, que cantam e tocam muito. Você vai achar que é o próprio Luiz Gonzaga cantando em alguns momentos. Além desta banda também é aberto o microfone ao público para que apareçam os interessados numa espécie de karaokê improvisado. E aquele violonista profissional que estava escondido, se junta com um percussionista dali e uma cantora de lá e… Voilá!!  Está feita a festa. Uma coisa que percebi e gostei muito é que… Não chega ser uma regra, mas o número é grande de músicos,biólogos, geólogos, fotógrafos, atores e muita gente alternativa que fequentam a ilha.

Bar do Rodrigo - Photo by Claudia Grunow

Bar do Rodrigo – Photo by Claudia Grunow

A banda, embala os pares que se espalham no gramado em frente ao bar e aos poucos o lugar fica com cara de Woodstock, mas com forró como música de fundo. Aliais Woodstock foi o apelido que meus amigos deram ao local.

Além de dançar forró o por do Sol visto deste ponto, fica bem mais bonito. As pessoas se reúnem no píer e se despedem do sol com palmas… Como não aplaudir?

Saudação ao Pôr do Sol - Photo by Claudia Grunow

Saudação ao Pôr do Sol – Photo by Claudia Grunow

Photo by Claudia Grunow

Photo by Claudia Grunow

Photo by Claudia Grunow

Photo by Claudia Grunow

Photo by Claudia Grunow

Photo by Claudia Grunow

À noite

“À noite o bicho pega!” Por isso, se você já entrou no post Serviços e informações na Ilha do Cardoso, está com sua lanterna a postos. Isso! Depois você coloca um sapato baixo (rasteirinha, sapatilha ou um chinelão), uma roupa confortável e “vamoo pro forró”. Ahh !! Já ia me esquecendo está faltando o perfume! Tem que ser um repelente daqueles dos “bão”. Feito isso saia pelas estradinhas fazendo um aquecimento vocal à La Luiz Gonzaga por que a noite vai ficar na história e o amanhã só vai sobrar sua panturrilha dolorida de tanto dançar.

    A noite na ilha é isso! Música e dança!

O local da farra é o Bar do Beto onde sempre toca uma banda chamada “Cataia” que é a queridinha da Ilha. Ela é uma mistura de forró, maguebeat, frevo… É uma loucura e as letras vão acabar ficando na sua cabeça. Quando menos esperar vai estar cantando “Já faz tempo que eu sai de casa pra viver no Maaaaar”.

Além do bar do Beto, bem próximo a ele, tem o Bar do Celestino que toca outras bandas como “Os 3 do Norte”, “Os Alquimistas” entre outros. Dessas bandas você escuta forró, mas também teatro Mágico e muito mais.

Bar do Beto sempre agitado

Bar do Beto sempre agitado

Esses dois lugares movimentam a noite. Quando acaba o show em um, tem o outro e assim vai.

Quando você cansar poderá ir à praia ver plânctons luminosos… Namorar… Olhar as estrelas … Fumar um charuto ou simplesmente esperar o dia clarear.

Outras Atividades

Além de tudo isso que falei acima. Você pode também usufruir de outras diversões  que estão na ilha ou trazer algo para completar suas atividades.

Aqui vão algumas dicas para não lhe deixar com cara de pastel quando lembrar que podia ter levado a cinta fita para o Slake.

Slakeline: Árvore não faltará para este brinquedinho. Como ele já está na moda já faz um tempo é bem provável que tenha uma já montada para você, pois as pessoas costumam montar e deixar meio a vontade para quem tiver interesse, mas se você tiver uma é interessante. Aí você pode me emprestar. Rsrs

Balanço: Ainda no ramo das cordas. Tem esse mais antigo e tradicional divertimento. Na ilha tem algumas espalhadas de pneu ou de corda. Outra opção bem usada é a rede. Ficar na rede depois do almoço ouvindo os pássaros, naquele balanço é … É… é … É… Zzzz.

Bicicleta: Tem na ilha para alugar, mas se quiser levar também pode sem problemas;

Nadar: Isso dá pra fazer nas praias, nas cachoeiras e também no canal. O canal a água é escura devido ao mangue e as sedimentações do local, mas todo mundo se joga. Alem de nadar, dá para fazer outros esportes como wakeboard, jet ski, caiaque, Stan up paddle board entre outros.

Passeio de Barco: Atrativos é que não faltarão em um passeio de barco. Pássaros vermelhos ( Guará), botos, mangue e muito mais. Além da natureza você pode conhecer o povoado vizinho.

Se depois de todas essas opções você ainda não achou nada senta e conversa com os seus amigos e com quem acabou de conhecer. Como é bom ouvir e falar de histórias de vida.

Pessoas reunidas Jogando conversa fora - Photo by Claudia Grunow

Pessoas reunidas Jogando conversa fora – Photo by Claudia Grunow



Categorias:Ilha do Cardoso

Tags:, , , , ,

2 respostas

  1. Adorei Seu blog! extremamente útil com um texto impecável parabéns!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: