Bangkok

Banguecoque ou Bancoque ou ainda Bangkok…Não importa! Ela é a capital da Tailândia, a mais populosa e consequentemente a mais agitada. Muitas pessoas indo e vindo, as ruas cheias de vidas, cores e cheiros. Muita coisa para fazer, comprar e para conhecer.

A primeira impressão

Yaksha- Seres bons responsáveis por cuidar dos tesouros da terra.( Photo Claudia Grunow)

Thotkhirithon – Guardiões dos tesouros da terra – Photo Claudia Grunow.

Foram três paradas no aeroporto Suvarnabhumi (pronuncia-se “su -wan-a-poom”), para eu de fato conseguir sair deste e conhecer a cidade. Deixei para trás os imponentes gigantes chamados Thotkhirithon, aquela atmosfera calma e os rostos do rei e rainha na fachada do aeroporto como se acenassem para minha nova aventura.
Saí de táxi no final de uma tarde abafada. O Sol ia dormir e a noite começava o seu turno. O carro invadiu a avenida larga repleta de carros e ao mesmo tempo pontes, fios, postes e letreiros em tailandês cortaram a minha visão.  O calor me deu boas vindas assim que pisei fora do aeroporto.  Aaaah o calor! Domina o ar tailandês, mas nem por isso as saias longas, as calças, se escondem. Na Tailândia não existe pouca roupa.
As casas, prédios, templos, terrenos baldios, passavam correndo. Alguns acinzentados, outros tão coloridos e cheio de detalhes que pareciam festejar a minha chegada. Um triciclo motorizado, o Tuk Tuk ou auto-riquixá para os Indianos, cortou a minha paisagem. Dentro dele, vi os turistas rindo e o simpático motorista do Tuk Tuk acompanhava a risada. Muitos carros, buzinas, faróis, motos, scooters, muitas mascaras de proteger o rosto, muitas luzes. Abro o vidro do carro, um cheiro úmido entra, é a chuva abençoada que marcou sua presença com gotas cheirosas, das quais me lembravam ora comida, ora gasolina, ora monóxido de carbono, ora lavanda, ora outras flores. Parecia que Deus estava jogando água cheirosa na Tailândia como os budistas fazem aos seus ídolos, mistificando o lugar.

O povo local é amigável, de sorriso fácil, porém como é um lugar com oito milhões de habitantes (segundo dados da ONU) é bom você colocar prudência junto com a sua bagagem. Na Tailândia 99% da população é budista isso ajuda muito. A filosofia Budista não prima por pessoas que cometem delito, mas isso não quer dizer que não exista maldade, afinal na bíblia os ladrões também não tem vez e nosso país, com boa parte da população cristã, tem inconvenientes, portanto pessoas querendo se aproveitar irá existir. Então, basicamente para as coisas ruins a atitude que você terá é a mesma que teria que ter em qualquer outro lugar: evitar andar sozinho(a) em lugares ermos à noite, sempre cuidar do passaporte, dinheiro e objetos de valor. Outra dica é não acreditar em tudo os que os sorridentes nativos oferecem. Afinal, eles já nasceram sorrindo e sorrindo vão tentar te empurrar passeios nada a ver ou dizer que o templo está fechado para que faça um tour com eles.

Enfim… Resumidamente as coisas que não curti foram:

  • Pessoas vão tentar te lograr em dinheiro (tuk-tuk, taxista);
  • A internet não funciona na rua. Então, não terá Google maps full time;
  • Os trens e ônibus são um pouco confusos;
  • Tem bastante pobreza e muitos, mas muito mesmo, ratos em algumas regiões da cidade à noite.

O que superou tudo isso foi:

  • O bom cheiro das ruas, existe um perfume no ar;
  • A comida tailandesa (Thai food) Mmmmmmm! É saborosíssima! Isso em qualquer lugar até a bicicleta com cozinha improvisada que vende macarrão na rua;
  • Seus templos são imponentes cheios de história e beleza;
  •  A recepção das pessoas e boa. São hospitaleiros e gentis;
  • Os esquilos dominam o dia. É uma graça vê-los nos fios e nos galhos das árvores.

Eu não sabia quase nada de Bangkok. Lembrava dela dos filmes que assisti “Se beber não case 2”(The Hangover Part II) e “Perigo em Bangkok”(Bangkok Dangerous). Foi difícil montar um roteiro, mas para que você não fique sem saber aonde ir, eu organizei informações que facilitará na escolha do seu itinerário.

Photo by Claudia Grunow

Photo by Claudia Grunow

Photo by Claudia Grunow

img_7985

Com certeza você como eu vai gostar desta cidade que é cheia de diversidade cultural, comportamental e religiosa. Ir para Bangkok é como ir para um mundo novo, mas um mundo muito louco!

 



Categorias:Asia, Bangkok, Tailândia

Tags:, , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: