Ruas de Bangkok

Assim como São Paulo tem a Paulista, Puket tem a Bangla Road e Nova York a 5 avenida. Bangkok também tem algumas ruas famosas e merecem estar inclusas no seu roteiro. Porém, além das famosas que citarei aqui, passear por outras desta cidade pode ser uma imersão na cultura. Afinal, é nelas que circula tudo o que você pode imaginar. Onde estão escritas histórias através de construções, lojas, muros, escolas, carros e as pessoas do lugar.

Khao San Road

Parada obrigatória para:

Umas comprinhas;

Fazer turismo;

Comer uma coisa exótica (ex.: escorpião);

Ver uns esquilos de dia (ratinhos a noite rsrs);

Ou simplesmente curtir a agitação.

Eu indicaria se hospedar nela. Afinal, todo o habitante desta cidade conhece essa rua, é mais  fácil localizá-la, tem muitas opções de hospedagem e muitas coisas para se fazer até tarde da noite.

Movimentada Kao San Road- Photo by Claudia Grunow

Movimentada Kao San Road- Photo by Claudia Grunow

Eu super indico se hospedar nela, inclusive escolhi um hotel no meio da muvuca. Graças a essa escolha, deu tudo certo, ficou fácil para achar táxi ou tuk tuk, restaurantes e ir a pé ao Grand Palace.

No primeiro passeio a pé para conhecimento, cheguei a conclusão que a Khao San é quase uma 25 de março, repleta de camelôs. Nela, você compra camisetas, vestidos, biquinis com estampas lindíssimas, bolsas de couro e vários souvenires. Claro, como toda rua que vende de tudo que se preze, tem muita bugiganga da China, mas tem várias coisa bacana. Eu gostei muito dos vestidos.

Outra rua que me lembrou bastante a Khao San é a Bangla Road de Puket, também famosa na Tailândia. Isso mesmo! Porque junto com os camelôs transita as Lady Girls e pessoas oferecendo ingressos para o famoso show de ping pong. Um espetáculo meio pornográfico onde mulheres jogam ping pong com tudo, menos com a raquete. Porém o número de pessoas oferecendo e se oferecendo é menor.

Para completar essa miscelânea acrescente comidas. Sim!! Nesta rua tem vários restaurantes, fast food e cozinhas improvisadas em bicicletas que servem do tradicional Thai Food à tarântula na manteiga.

Larvas ( arghh!!), escorpião e tarântulas comidas exóticas em Bangkok- Photos by Claudia Grunow

Larvas ( arghh!!), escorpião e tarântulas comidas exóticas em Bangkok- Photos by Claudia Grunow

Se você quer comer algo exótico como espetinho de escorpião, barata ao alho e óleo, este é o lugar.  Para tirar foto dessas iguarias tem que consumir. Eu ganhei um grilo pra comer e tive a impressão que ele desceu com as patas abertas agarrando a minha garganta. Foi uma experiência não muito boa. Minha amiga comeu um escorpião e lembro-me de ela falando:

Minha amiga e a sua saga de comer um escorpião- Photo by Claudia Grunow

Minha amiga e a sua saga de comer um escorpião- Photo by Claudia Grunow

-“É igual a comer carne torrada… Assim, agora no meio tinha um gosto meio estranho, mas basicamente carne torrada!”.

Na rua também tem muitos bares. Fomos num que tinha um show ao vivo de Rock pesado, quase um Heave Metal, mas cantado em tailandês ou Japonês (Não consegui identificar). Foi uma experiência bem diferente.

Se você continuar em frente, há uma rua que não passa carro, só motos. Nela, encontramos restaurantes e várias casas de massagem onde pude, numa delas, relaxar as pernas depois de uma longa caminhada com um experiente profissional local que terminou a sessão com uma emocionante saudação de agradecimento pelo trabalho prestado, erguendo as mãos para o céu. Muito love. Foi ma ra vi lho so!  Saí de lá dançando como Fred Astaire. Fiquei tão feliz que quase o abracei, mas não pode, né?! Então, fiz o Khorb khun Na kan (saudação formal dita por mulheres), com as mãos unidas, mas não deixei de dizer que tinha gostado muito do serviço dele. E para os que não sabem de nada, a massagem tailandesa não é no estilo tema adulto, ou simplificando, não tem nada de sacanagem, é simplesmente massagem. Lembra um pouco quiropraxia em alguns momentos. Confesso que no começo era bem dolorida. Mas depois acostumei sinto muita falta disso aqui no Brasil. Isso é algo que você pode aproveitar lá afinal é bem em conta.

Fora tudo isso, tem muitos gatos, mas tive um pouco de medo deles, eram feinhos sem rabo (não sei por que as pessoas de lá cortam os rabos destes gatos). Os esquilos assustam de dia. Isso mesmo: muitos esquilos correndo nos postes e árvores. E à noite, ratos de todos os tamanhos andam pelas calçadas. Essa parte foi meio tensa, mas sobrevivi.

Enfim, a Khao San fica em uma região que tudo funciona até tarde e abre cedo. Na época em que fui, o regime de governo impunha o toque de recolher. Mesmo assim, esta rua estava animada às 02h00min. Caso você não se hospede na região,  de uma passadinha para conhecê-la.

Escorpião - Iguaria na Kao San Road- Photo by Claudia Grunow

Escorpião – Iguaria na Kao San Road- Photo by Claudia Grunow

Silon Road

Outro ponto bacana é essa rua. Nela, existem vários Nitgh Clubs, bares, restaurantes e nas transversais dela, você encontra uma rua para cada tipo de público: LGBT, Lady Girs (transexuais), heteros, roqueiros e assim vai… separado desta forma, mas no fundo é tudo misturado. Você pode passear e não vai ser barrado(a) em nenhuma delas.  Na Tailândia, eu não vi, em nenhum momento, discriminação ou qualquer outra manifestação de repudio a nada.

Sky Bar - Bangkok - Photo by Claudia Grunow

Sky Bar – Bangkok – Photo by Claudia Grunow

O lugar tem muita balada, bares e restaurantes. Nós fomos ao Sky Bar de onde vimos toda a imensa Bangkok. De lá da para ver a roda gigante do Asiatique ( post Outros passeios em Bangkok”) e a imensa Bangkok. Lá de cima, percebi que eu fui realmente só turistar, pois para conhecê-la teria que ficar lá uns meses.

Sky Bar - Bangkok - Photo by Claudia Grunow

Sky Bar – Bangkok – Photo by Claudia Grunow

O Bar em que fomos é meio apertadinho, mas muito bacana, porém chique. Tive de abandonar o tênis. Além dele no mesmo ambiente funciona o Sirocco que é um restaurante de comida mediterrânea.

Foi um ótimo passeio, estava lotado, cheio de gente bonita, muitos gringos. Foi bem engraçado, deu para darmos umas paqueradas, bebermos uns drinks (não são tão caros) e apreciarmos a vista. A entrada é free .

Nesse bar foi feita uma cena do filme “Se beber não case 2″.

Enfim, essa é a rua da diversão. Posso caracterizá-la assim. Eu não levei sorte, no dia em que fui tinha toque de recolher às 01h00min. Então,  a 00h00min já estava tudo vazio.  Apenas nós duas e uns ratos gigantes. Fomos embora logo para não perdermos o último táxi.

Demais Ruas

Finalizando, rua é o que não vai faltar em uma cidade de oito milhões de habitantes (dados da ONU) e te aconselho a andar nelas, explorá-las. Se você não quiser adentrar na bangkok desconhecida, faça isso nas ruas próximas aos templos ou pontos turísticos. Poderá encontrar muita coisa boa de comprar e de ver.

 



Categorias:Bangkok

Tags:, , , , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: